RESENHA : Rio dos Ventos

Bom Dia, amigos! Como vão?

Você é daquele tipo de pessoa que ainda mantém um certo receio ao adicionar um livro nacional em sua lista de leitura? Com essa resenha, prometo que você mudará de ideia! Vamos para o que importa!img_4513

INFORMAÇÕES TÉCNICAS:

Título: Rio dos Ventos // Autor: Fabiano Alexandria // Editora: Autografia  // Páginas: 222

Os leitores que tem o costume de me acompanhar, sabem que não sou tão exigente com os livros. No entanto, quando me refiro a suspenses, cada detalhe é levado em conta na hora da resenha.

rdvSINOPSE:

Em Rio dos Ventos, o autor Fabiano Alexandria conta uma história de mistério que cerca os frades Antônio e Ângelo do convento Santo Antônio, parte do complexo São Francisco. O local iniciou suas construções em 1588 e, desde então, conta com diversas histórias, entre elas, a lenda de um túnel escondido que serviria como rota de fuga durante as invasões holandesas. O que de repente surpreende os frades é que a história não é apenas uma lenda.

Além deles descobrirem que o misterioso túnel existe, revela-se que outras pessoas perigosas também sabiam sobre o local, o que os põe em perigo. Ao mesmo tempo, Bernard e Vanessa, dois investigadores da polícia, descobrem uma sequência de assassinatos ligados ao túnel, e uma narrativa incrível começa a se desenrolar em Rio dos Ventos.

“Desde os primórdios, o motivo que move o mundo é exatamente aquilo que leva as pessoas a pensarem no dinheiro, no poder, no sexo, na fé ou na ambição. É a sensação que o ser humano tem de estar saciado que move o mundo – é o desejo.” -Página 144

img_4514

  Cada gênero literário tem sua forma de condução de narrativa. No entanto, em minha visão, a forma de conduzir a narrativa de um romance policial é divergente de todas as outras, já que o enredo deve prender o leitor e ao mesmo tempo, afastá-lo de toda a obviedade para surpreender a cada momento. Algumas dessas características, são observadas com a constância de bons livros do gênero em questão. Dessa forma, a chave para o sucesso é escrever o que gostaria de se ler.           Nesse viés, ao iniciar os hábitos literários aos 4 anos de idade e ser fã incalculável de romances policiais, Fabiano Alexandria faz jus aos anos de leitura para replicar tudo o que há de melhor em “Rio dos Ventos”, tirando o fôlego e criando expectativas em quem lê.

  No quesito cultura e informação, o livro é relevantemente enaltecido e esclarecedor ao abordar aspectos históricos de João Pessoa, Paraíba (onde a trama se passa).   Tanto construções e monumentos históricos quanto temas diversos de acontecidos prévios são retratados, assim como as invasões holandesas no Brasil. Além disso, relíquias históricas e tesouros da igreja existentes são a chave para investigações ao decorrer da investigação.

  Para provar para vocês o quanto as informações precisas são um patrimônio de sua cidade de origem, a obra será adotada como paradidática (material que auxiliam no ensino de uma disciplina) em um dos colégios mais conceituados de João Pessoa no próximo ano. O objetivo é fazer com que cada habitante da cidade saiba um pouco mais sobre suas origens, histórias e dramas vividos.

img_4515

  Um dos fatores que mais me chamou atenção, foi a relação entre os personagens. Os principais protagonistas são abordados com magnificência. Seus desejos, ações e principalmente observações são aprofundados e muito bem desenvolvidos. A junção dos conhecimentos médicos e policiais apreciados pelos personagens são intrigantes.

  As informações das investigações em andamento são expostas momentaneamente e não são desvendadas apenas no final, o que faz com que os leitores não se sintam deslocados e perdidos. Esse fator, no entanto, não impossibilita a surpresa no desenrolar final. Muito pelo contrário! Quando chegamos ao fim do livro, somos entorpecidos ao perceber que duas situações de ápice são criadas: uma em consequência da outra.

NOTA: 10/10 + FAVORITO

  Se você tem feição por suspenses, mistérios e investigações, aqui fica minha forte recomendação de leitura. Utilizando as próprias palavras do autor, no fim, tudo é aprendizado. Tudo o que tinha para ser apenas mais uma leitura, se converteu orgulhosamente em uma leitura nacional qualificada como a terceira melhor do ano até o presente momento. O livro está disponível em versão física e também e-book.

Narra tão bem quanto Stephen King, investiga à moda de Dan Brown

Um abraço, até mais!

COMPRE O LIVRO EM: AMAZON // SARAIVA.

LEMBRETE: ATÉ O DIA 10/07 O AUTOR ESTARÁ FECHANDO PARCERIA COM PRODUTORES DE CONTEÚDO. ENTRE EM CONTATO: Fabiano Alexandria

 


 

 

Anúncios

RESENHA: DAMA DA MEIA-NOITE

IMG_20170526_122338_286

“Assim é declarado por Raziel. Sed Lex, Dura Lex. A LEI É DURA, MAS É A LEI.”

INFORMAÇÕES TÉCNICAS:

                                             Título: Dama da Meia-Noite                                                          Autora: Cassandra Clare // Páginas: 574 // Ano: 2016 // Editora: Galera Record

ENREDO:

Emma Carstairs perdeu os pais alguns anos atrás na chamada Guerra Maligna. Desde então ela sente que o assassino dos pais perambula livremente pelo submundo.

Emma é a melhor e mais notável Caçadora de Sombras de sua geração. E agora que mortes estão abalando o Submundo e o Reino das Fadas, ela está mais do que pronta para desvendar o mistério por trás da morte dos pais. Não importa os perigos, ela quer vingança. Quer a verdade.

Mas não é só isso.

Emma e Julian Blackthorn são parabatai, o que significa que sempre estarão ligados. Sempre lutarão juntos, mas não podem nunca se apaixonar um pelo outro. É proibido pela lei. Emma e Julian estão apaixonados.

Lidando com seus dilemas pessoais e com os dilemas de seus amigos, além da perspectiva de encontrar o assassino dos pais, entre cavernas escuras, magia negra e seres malignos, Emma terá o medo, possibilidades, sacrifícios, traição, mortes, segredos desenterrados, mas acima de tudo, aquilo que ela e Julian mais temem.

OPINIÃO:

Em Dama da Meia-Noite, primeiro volume da trilogia “Os Artifícios das Trevas” , a consagrada autora Cassandra Clare consegue manter o padrão fantasia de suas obras anteriores. A narrativa segue o mesmo ritmo. O mundo Shadowhunter, apesar de um pouco menos explorado, pela falta de mais cenários e ação, continua maravilhoso. A autora sabe transitar magistralmente bem entre a questão fantasia, adicionando toques poéticos, humor, mistério e o lado sentimental.

Neste livro, somos convidados a fazer uma grande jornada do Instituto de Los Angeles às águas geladas e profundas de uma caverna sombria. Passando por um centro de magia negra onde pessoas morrem ou matam.

Heróis nem sempre são os que vencem. Algumas vezes são os que perdem. Mas continuam lutando, continuam voltando. Não desistem. É isso que faz deles heróis.” (Pag. 497)

Confesso que a narrativa detalhista da Cassandra sempre me incomodou um pouco. Não foi diferente em Dama da Meia-Noite. Além disso, aqui os acontecimentos importantes chegam devagar. A grande reviravolta demorou. Foi algo surpreendente, mas ainda assim esperava mais do final.

Os personagens são bem construídos. Isso é um ponto forte.

Enquanto nossos Caçadores de Sombras procuram pistas e lutam contra demônios, Julian tem medo de perder os irmãos. De que um dia eles trilhem por caminhos diferentes. Ele os ama mais do que a si mesmo.

Todos nós descobrimos que as pessoas que cuidam da gente são humanas, eventualmente. Que cometem erros.” (Pag. 311)

Na busca pelo assassino, Emma descobre que alguém muito poderoso está tentando ressuscitar um grande amor do passado. Aqui vemos uma forte referência à lenda do terror e suspense que é Edgar Allan Poe.

Além de toda a trama de Dama da Meia-Noite, somos presenteados com o resgate de alguns personagens do mundo de Os Instrumentos Mortais. Admiradores com certeza irão adorar reencontrar Clary e sua turma.

Emma e Julian estão apaixonados, mesmo sabendo que ficar juntos é um risco. Eles se afastarão ou quando o amor é de verdade, nenhum tipo de maldição pode interferir?

Por que todos esses quadros com você? Porque sou um artista, Emma. Essas pinturas são o meu coração. E, se meu coração fosse uma tela, cada sentimento dela retrataria você.” (Pag. 452)

Amor de família. Amor de amigo. Amor de irmão. Amor de amor. Simplesmente o amor. O amor em toda sua magia e desespero. As coisas que fazemos pelas pessoas que amamos. As coisas que deixamos de fazer. As consequências de um amor proibido. Até onde o amor pode nos levar. Para o bem ou o mal? Até mesmo quando não somos amados, o amor nos reserva surpresas e assim será. Você morreria se seu grande amor morresse? As palavras que animam e ferem. Assim é o amor.

Encontre muitas formas de amor em Dama da Meia-Noite.

Amor é feito para deixar as pessoas felizes, não é? Não é para machucar?” (Pag. 307)

A última página do livro, com todo seu ar de mistério me deixou certo de que preciso ler Lorde das Sombras, próximo volume da trilogia Os Artifícios das Trevas. Por outro lado, as decisões finais de Emma me abalaram por ter achado um tanto exagero. Mas visto seus sentimentos, é compreensível. Entendo também que a autora criou tal situação para um novo desenrolar em Lorde das Sombras, que tem seu lançamento aqui no Brasil marcado para o segundo semestre.

Todo mundo tem medo de alguma coisa. É parte de ser humano.” (Pag. 453)

AVALIAÇÃO FINAL: 4/5

ONDE COMPRAR: SARAIVA / AMAZON / SUBMARINO / 

 


 

RESENHA: THE BEAUTY OF DARKNESS

Olá amigos, depois de muita espera, estou aqui com a resenha de The Beauty of Darkness.

*Só para ressaltar, o enredo pode haver spoiler referente ao segundo livro (The Heart of Betrayal). Maaas, meus comentários em geral não haverão qualquer experiência que estrague sua leitura.

WhatsApp Image 2017-05-19 at 19.03.47(1)

INFORMAÇÕES TÉCNICAS:

Título: The Beauty of Darkness // Autora: Mary E. Pearson // Editora: Darkside Books 2017

576 Páginas

Dê uma olhada em todos seus livros. Reflita sobre os autores. Agora eis a questão: do total, quantas são mulheres? Percebe a diferença gritante? O mais triste ainda, é que esse exemplo não se restringe apenas à literatura. Em qualquer área profissional essa evidência é generalizada: mulheres recebem menos e tem menos benefícios. Mas qual a relação desse parágrafo com o livro? Simples, os três livros das Crônicas de Amor e Ódio vieram justamente para acabar com esse tabu.

The Beauty of Darkness é o terceiro título e obra de fechamento da tão consagrada Crônicas de Amor e Ódio. A pressão sobre os personagens nunca foi tão grande. Tudo e todos dependem de Lia. Verdades serão contadas, destinos sendo traçados. Versos a serem ressoados e profecias serão cumpridas.

“O príncipe da coroa de Dalbreck, o Assassino de Venda e a primeira fugitiva de Morrighan. Filhos e filhas de três reinos, cada qual determinado a dominar os outros dois.” Página 79

ENREDO:

Com a esperança da morte de sher Komizar, Lia e Rafe contam com o auxilio de quatro soldados e amigos pessoais do futuro rei de Dalbreck para realizar a fuga magnificamente orquestrada de Venda.

Dentre seus vários objetivos pessoais, ambos os personagens enfrentavam dilemas e escolhas a serem decisivas. Rafe, agora rei, sofria uma grande pressão. Seus pais estavam mortos e seu reino o aguardava impacientemente. Mas essa espera duraria até quando? Será que quando adentrasse ao território de dalbrechiano a população ainda estaria em seu favor? E o poder, ainda estaria concentrado em suas mãos?

Já Lia, durante sua temporada em Venda fizera descobertas que afetavam drasticamente o reino de Morrighan; ocupantes de cargos importantes de seu reino natal eram traidores que conspiravam em favor do Komizar, Além do mais, seus sentimentos estão divididos e seu coração abalado. Como se não bastasse, sua família corre perigo, fazendo com que Lia lute contra o tempo para tomar uma decisão de suma importância.

A luta final se aproxima. Luta essa que contava com desproporções épicas. Todavia, o maior poder nem sempre é o que está concentrado em suas mãos, mas sim, em seu coração.  Acompanhe Lia nessa jornada de perder o fôlego e libertar a alma.

“Grandes exércitos marcham com as barrigas cheias.” Página 134

CRÍTICAS E COMENTÁRIOS:

Para aqueles que pensam que se trata de um romance focado em triângulo amoroso, tire seu dieci da chuva! Do meu ponto de vista, a trilogia não tem como foco o trio (Kaden, Rafe e Lia), mas sim, questões reflexivas acerca do autoconhecimento e principalmente da evidência feminina. Divergente de muitos outros personagens que carregam um enorme peso, Lia não é emergida em crises existenciais arrastadas, ela percebe o  fardo que carrega e com garra, luta para defender seus ideais. Ideais de amor, solidariedade, respeito e acima de tudo igualdade.

Apesar de ser uma trilogia superior a mil páginas, poucas partes são paradas. Principalmente por ser o fechamento da trilogia, o livro em questão é repleto de ação e reação. É impressionante o quão Mary soube explorar o aprimoramento mental e físico da protagonista. Sua maturidade e compaixão são admiráveis e necessárias nos dias de clamores atuais.

Pessoalmente, carregarei duas admirações sobre a obra: primeiramente pelo quão bem Mary amarrou a história. É estranho pensar que fantasias fiquem com perguntas sem resposta, mas acreditem, isso acontece. Nesse critério, não tenho nada a reclamar sobre os livros, apenas parabenizar. Minha segunda admirações é sobre os mistérios durante a narrativa. Para aqueles que me conhecem, sabem que meu gênero preferido é o suspense com doses sem moderação de mistério. Quem já leu qualquer um dos volumes, pode relacionar as premissas. Os três livros são suspensos em  mistérios repentinos que são respondidos da mesma forma que são criados: com uma bofetada na cara do leitor.

Defendidos os pontos positivos, venho bater em uma tecla negativa: o único e irrelevante fator com o qual me deparei, foram os erros de português. Contudo, não é um empecilho que estrague sua experiência literária. Muito pelo contrário! Conforme novas remessas de impressão são realizadas, esses erros são corrigidos pela editora. Dessa forma, não há o que reclamar.

“Confie na força que existe dentro de você e ensine-a a fazer o mesmo.” Página 253

NOTA FINAL: 09/10

Compre o livro: AMAZON // SUBMARINO

APOSTE NO ESCURO!

parceiros darkside 2017 Black

The Beauty of Darkness foi cedido pela Darkside Books em parceria com a linha editorial DarkLove.